domingo, 25 de janeiro de 2015

Qual a diferença entre os cabelos ondulados, cacheados e crespos?

Uma das dúvidas que me surgiu quando comecei o processo de transição na volta ao uso dos cachos foi qual a diferença entre os tipos de cabelos.

Eu não gosto de fazer as coisas por fazer, gosto de aprender o porque das coisas e fiz algumas pesquisas a respeito e quero compartilhar com vocês como prometido no meu post anterior "Curioso, energizante e apaixonante mundo novo das cacheadas".

Bom tecnicamente falando, a forma do nosso cabelo é determinada através do formato do bulbo capilar (raiz do cabelo), que recebemos geneticamente dos nossos pais. A diferença entre os tipos de cabelos está relacionada com o grau de ondulação ou curva elíptica de cada tipo de cabelo, que pode ser de levemente elíptica (liso ondulado) até muito elíptica (crespo). 


Então dito isso, cabelo liso não tem curva, ondulado tem curva leve, cacheado tem curva mediana e crespo tem curva acentuada. Seguindo essa lógica, podemos ter vários tipos de ondulações que vão determinar o tipo do nosso cabelo. Pra facilitar esta identificação os tipos de cabelo foram separados em tipos e densidades.

Tipos: 
1 - Liso, 2 - Ondulado, 3 - Cacheado ou 4 - Crespo / Afro

Densidade: 

A - Fino, B - Médio ou C - Grosso

Quando estava pesquisando achei umas coisas bacanas no blog da Joyce Nunes que podem te ajudar bastante, vou tentar resumir um pouco aqui:


Vou explorar rapidamente este tipo de cabelo pois o foco deste post é sobre cachos e ondulações. Basicamente este tipo de cabelo é "reto" sem curvas da raiz até as pontas, mais conhecido como cabelo "escorrido". Ainda assim, como mencionei possuem variação na densidade do fio por isso encontramos diferentes tipos de cabelo liso como a foto acima.


  • 1A (Liso e Fino): É pouco encorpado geralmente brilhante e tende e ser grudado na cabeça. O termo escorrido se aplica bem a este tipo de cabelo pois é facilmente identificado por não segurar nada, daí o termo "escorrido" - tente colocar um grampo, em poucos segundos escorre do cabelo.
  • 1B (Liso e Médio): É mais encorpado que o anterior e tem bastante volume. Este tipo de cabelo é menos escorrido e além de conseguirmos prender de vez em quando ele é mais maleável e permite modelagem.
  • 1C (Liso e Grosso): Pela densidade grossa, é mais pesado e difícil de modelar. Facilmente identificado nas cabeleiras orientais ou indígena.


Os cabelos Ondulados e Cacheados são confundidos pois o ondulado é um tipo de cacheado. A diferença está no tamanho na textura e na densidade dos cachos. 

Este tipo de cabelo possui raiz lisa e curvas leves (onduladas) no tipo de "S". Parte das características e que podem aumentar ou diminuir a ondulação dependendo da umidade no ar, sendo mais suscetível ao frizz.




    2A (Fino e Ondulado): Este tipo de cabelo é quase liso e possui pouco volume, sendo fino é de fácil modelagem podendo ser facilmente confundido com o tipo 1 ou com o tipo 3. Basta uma escova, um secador e 5 minutos terá cabelo liso ou um pote de gel ou creme de pentear e 5 minutos amassando que voilá terá cachos perfeitos.



    2B (Médio e Ondulado): Ao contrário do tipo anterior este cabelo não é tão fácil de ser modelado e possui mais volume. Suas mechas geralmente formam um "S" perfeito mas, os fios deste tipo são mais ásperos e rebeldes e tendem a ter mais frizz.




    2C (Grosso e Ondulado):  Este cabelo possui ondas mais intensas e já começam a formar cachos. Por ter maior volume e raízes lisas, não ficam grudados na cabeça e se não for estilizado/modelado pode dar um ar de sem definição ou desajeitado. 








    Por mais que os tipos 2B e 2C já sejam visto como cacheados, na verdade é aqui que o cabelo cacheado começa e a divisão do cabelo crespo se confunde. 

    O cabelo tipo 3 já forma cachos em espirais bastante definidos que chegam parecer "molinhas" que se formam desde a raiz até as pontas (geralmente). A maioria das mulheres que se enquadram no tipo 3A e 3B nasceram com fios lisos que foram se formando ao longo do tempo.

    Quando este tipo de cabelo é bem cuidado é macio e cheio de vida mas requer maior atenção. Mudei a definição nas fotos abaixo para facilitar a identificação com seu tipo de cabelo:



    3A (Cachos Soltos): Possui um cacho perfeito largo e regular que até parece ter sido modelado. O tipo do fio é leve e seus caracóis são abertos e pesados, dá pra abusar dos modeladores pois este tipo de cacho tende a não perder o formato facilmente.




    3B (Cachos Apertados): Os cachos são menores de tamanho e com maior definição (espiralados) o que deixa o cabelo mais volumoso. Consequentemente fazer uma escova vai dar mais trabalho. A partir desse tipo de cabelo as pontas tendem a ficar mais secas, com mais frizz e requer um pouco mais de hidratação pois a oleosidade natural do couro cabeludo tende a não chegar as pontas dos cabelos.

    3C (Cachos Super Apertados): Aqui que começa a confusão entre o cacheado e o crespo pois este tipo de cabelo possui uma textura mais grossa - o que não é regra pois pode haver texturas finas e frágeis neste tipo de cabelo também. 

    Basicamente o que diferencia este cabelo e o tipo crespo é que ele continua com o formato de espiral mesmo quando penteados, mas com a característica de armar bastante depois de seco. Seus cachos tendem a ficar grudadinhos uns nos outros porém com o formato bem definido. 

    No blog da Joyce Nunes ela dá um conselho bacana pra este tipo de cabelo:

    "Para que os cachos sempre fiquem bonito, o ideal é só penteá-los depois do banho, com o cabelo úmido e protegido por um belo creme para pentear específico para este tipo de cabelo. Depois de secos, esqueça a escova ou o pente, pois ele só irá desmanchar os cachos e armar a cabeleira! Se acordar com os cachos murchos e indefinidos, é legal usar um spray para pentear específico para cabelos cacheados e amassar as madeixas novamente. Os cachos ficam perfeitos, como se o cabelo tivesse sido recém-lavado!"


    Este tipo de cabelo também é conhecido como Afro, principalmente em mulheres de origem Negra (Afro Descendente - daí o nome "Afro"). A predominância desse fio é ser similar a forma do "parafuso" e por crescerem paralelamente à raiz. 

    Uma curiosidade é que eles chegam perder 75% do seu tamanho real quando secos. Importante salientar também que por conta da textura dos fios, a oleosidade natural do couro cabeludo não consegue percorrer toda a extensão do cabelo o que os torna mais secos e frágeis.

    Hidratação e Umectação são essenciais pra ajudar manter o brilho e a macies dos fios.


    4A (Crespos e Macios): Parecido com tipo 3C mas com textura mais grossa. O cacho é super estreito, quase imperceptível, parece umas "molinhas" de tão definidos. Quando esticado fica no formato de "S". Recomenda-se muita hidratação, evitando lavar todos os dias pra não retirar a oleosidade natural dos fios.    
    4B (Crespos e Secos): A mecha deste tipo quando esticada fica no formato de "Z" bem definido e frágil.

    Recomenda-se pentear utilizando pente de dente largo mas evitar fazê-lo a seco, deve-se usar de condicionadores potente antes de penteá-los pra minimizar possíveis quebras.

    Para estilizar prefira a utilização de pomadas ou se possível, leites e manteigas específicas para este tipo de fio por ser mais hidratantes.





    4C (Crespos e sem forma): Este cabelo possui o formato "Z" quando esticado mas intercala com fios sem definição de formato por sua característica de crespo e de cachos muito pequenos (se tornando imperceptíveis as vezes). 

    As recomendação são bastante similares com as do 4B mas é preciso incrementar com umectação de óleos vegetais e ampolas.



    Esse é um dos tipos mais secos pois a oleosidade natural praticamente não atinge a raiz dos cabelos e recomenda-se evitar muitas lavagens. Quando lavar os cabelos procure selar com óleos naturais para segurar a hidratação por mais tempo. Para finalizar prefira produtos super hidratantes e mais pesados como os cremes e manteigas pois além do volume esse tipo de cabelo tende a "nascer pra cima", ou seja, ficar naturalmente armado.

    Legal salientar que estas informações como comentei acima, tiveram origens diversas, como resultado de várias pesquisas que fiz, dentre elas algumas fontes foram o método André Walker System, alguns videos e materiais da Lorraine Massey (Deva Curly), o blog da Joyce Nunes, entre outros.

    Um beiju enorme e espero que algumas das informações sirva de aprendizado e lhe ajude a usar e abusar das madeixas e cachos maravilhosos.

    Até a próxima.

    quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

    Curioso, energizante e apaixonante mundo novo das cacheadas.

    Desde que me reencontrei e fiz as pazes com meus cachos, fiquei encantada com este mundo das encaracoladas, cacheadas, crespas, etc. Percebi que não sabia nada a respeito do meu cabelo, sempre lavei meu cabelo com qualquer shampoo e enxaguei com qualquer condicionador, aí quando algumas amigas do trabalho me procuraram - que também assumiram seus cachos a bem mais tempo e que são lindas por sinal - algumas perguntas bem simples começaram a surgir do tipo:

    • que shampoo você usa?
    • você adotou o no poo ou o low poo?
    • qual o seu tipo de cabelo?
    • você é encaracolada ou cacheada?
    • como você finaliza o seu cabelo?
    • que tipo de hidratação você usa?

    Confesso que fiquei perdida no começo mas ao mesmo tempo apaixonada por este universo que desconhecia totalmente. Até que me disseram que o meu cabelo entraria num processo de transição mas o importante era que eu respeitasse esta fase e que entrasse em alguns grupos de comunidades pra me familiarizar a respeito e o importante era não desistir...


    Eu pensei: Opa! Calma, pára tudo! Eu sei que estou num processo de reencontro, mas como assim, que história é essa de que o meu cabelo vai entrar num processo de transição??? 

    Porque até onde eu sabia, eu só tinha decidido saber quem eu era e parei de escovar os cabelos e disse adeus as progressivas, não sabia que estava iniciando um novo processo! Bom, sou curiosa e comecei a procurar mais na internet a respeito do assunto e quero aproveitar e começar uma série de postings sobre tudo isso.

    Vou começar compartilhando algumas das respostas que eu encontrei no meio do caminho.

    1. Qual a diferença entre os cabelos ondulados, cacheados e crespos?
    2. Qual a importância do tipo de shampoo usado pra cabelos encaracolados, cacheados e crespos?
    3. Qual a diferença entre No Poo e Low Poo?
    4. Qual o meu tipo de cabelo e como você pode descobrir o seu?
    5. Por que finalizar o cabelo é tão importante para nossos cachos?
    6. Qual o melhor tipo de hidratação pro meu tipo de cabelo?
    7. Todo cabeleireiro é igual, se ele é bom com cabelo liso será bom com cabelo cacheado?
    8. Porque uma amiga encaracolada, cacheada ou crespa é tão importante?
    9. Qual a influência do cabelo no meu humor?
    10. O que aprendi com tudo isso, quais os perigos deste processo?

    Vou criar posts separados para cada pergunta acima, porque merecem um espaço maior pra fazer a diferença que gostaria que fizessem, então, conforme as matérias forem ficando prontas vou atualizando este post com os links pra facilitar as futuras leituras.

    Beiju enorme e até breve!

    quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

    Coisas que não deixo de fazer quando estou em New York City!

    Estou amando a experiencia de escrever aqui no blog e estava pensando numa maneira de criar uma rotina de posts pra não ficar perdida buscando inspiração sobre o que eu deveria escrever.

    Resolvi então aderir a modinha das listas até porque segundo meu perfil MBTI sou uma ESFJ e uma das características desse perfil é gostar de lista e eu sempre que posso tenho uma lista as mãos, tipo lista de supermercado, To-do list pras atividades de trabalho e Wishing list pra viagens.

    Por falar em lista e viagens, minha primeira lista aqui no blog será de coisas que não se pode deixar de fazer em New York City.



    Como eu geralmente vou a trabalho, chego aos domingos e tento aproveitar o máximo tudo já no primeiro dia, descansar é para os fracos como diria minha amiga Érica Vieira - pelo menos em NY. Bom o que faço geralmente é:

    1. Chegar de viagem, jogar as malas no chão, trocar os sapatos e varrer as ruas de NY até escurecer a ponto de não enxergar 1 palmo adiante do nariz e o pé criar calo.
    2. Sentar nas escadarias do Metropolitam Museum comendo uma rodela de Pretzel ou tomando Hazelnut Coffee do Dunkin' Donuts.
    3. Entrar e sair de todas as lojas que encontrar: Forever 21, Macys, H&M, Zara, Sephora, MAC, Disney, M&M´s Store, Hard Rock Café, Vitória Secrets , etc.
    4. Tomar todos os Hazelnut Coffee que encontrar no caminho.
    5. Almoçar ou jantar no Red Lobster da Time Square.
    6. Voltar pro hotel com o braço marcado pela tira das sacolas
    7. Largar as sacolas no sofá e tomar um banho de banheira com água ate o nível máximo e extremamente quente - pode ser banho de ducha se preferir.
    8. Se jogar na cama e torcer pra acordar no horário de ir ao trabalho no dia seguinte.
    Geralmente nos dias seguintes estou no trabalho e além de me embebedar com cafés Flavia da Mars, eu procuro comer em restaurantes próximos ao trabalho ou ao hotel com os amigos, ir ao Shopping Mall, etc...  

    Bom como nas próximas semana estaremos eu, minha filha Alice e minha sobrinha Dani passando alguns dias em NYC, e como vai ser a primeira vez delas, eu prometo atualizar o blog semanalmente com várias dicas ou relatos de momentos fabulosos que teremos.

    Então um beiju meninas e até a próxima - lá de New York City / USA 

    segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

    Bóra ser feliz em 2015?

    Eu sempre senti como que tinha que mudar alguma coisa na minha vida mas não sabia o que era... até porque sempre achei que não tinha o direito de reclamar de nada, toda vez que parava pra pensar nisso me lembrava de todas as bençãos que Deus derrama sobre minha casa e minha família e não me sentia no direito de reclamar... 

    Alem das bençãos que reconheço na minha vida pessoal o meu trabalho é quase que um privilégio, além de me proporcionar o contato com pessoas espetaculares, num ambiente agradável, me possibilita fazer o que gosto e ainda me disponibiliza chocolates quase o tempo todo (talvez a pior parte).

    Tenho uma amiga de trabalho Miriam Cândido que sempre comenta que causa uma certa inveja aos amigos quando comenta que o privilegio de chegar as 8 da manhã sentindo cheiro de chocolate é indescritível! Sabe que nunca havia parado pra pensar nisso? 

    Outro dia estava chegando no trabalho amassada depois de passar quase 1 hora dormindo no fretado... e senti um cheiro de caramelo que foi se misturando com cheiro de chocolate derretido hummmm, na hora eu me lembrei da Miriam e finalmente entendi o que ela disse.

    Além do cheirinho ser bom nada se compara ter um chocolate a mão toda vez que aquela necessidade feminina de comer um chocolate aparece.... a balança cobra isso com juros depois mas...

    Voltando ao assunto da necessidade de mudança.

    Pensei comigo mesma: se eu sei que tudo está tão bem então porque sinto como se faltasse alguma coisa? O mais engraçado é que sempre achamos que falta alguma coisa - aí pegamos o cartão e corremos ao shopping, mas o que eu percebi é que no meu caso sobrava coisas, pior que não estou falando das gordurinhas a mais, to falando de coisas que não me pertencem mas são de outras pessoas e não to falando da vasilha tupperware da sua mãe nem do casaquinho da amiga não!

    No meu caso eu percebi que mesmo intencionalmente eu carrego coisas que não me pertencem. Vi como tem muita coisa dos outros em mim e na minha vida e quase nada de mim mesma, quase nada do que eu quero ou do que eu acredito! 

    De repente olhei no espelho e pensei: quem é você? quais as coisas que te fazem feliz? que tipo de roupa você gosta? como você gosta do seu cabelo?

    Bom, como estou aqui pra compartilhar experiências, a primeira coisa que fiz foi mudar a imagem do espelho e deixar de arrumar meu cabelo de acordo com as regras dos outros e voltei as raízes voltei a ter cabelos escuros como sempre foram e assumi os meus cachos. (já comentei isso no outro post mas queria dizer porque mudei).

    Estou muito bem comigo mesma, me sentindo mais forte, decidida, estou amando a experiência. Mas fico pensando em que momento deixei de ser eu, de viver as coisas que gosto, de usar o cabelo como sempre usei e vi que foi quando passei a cuidar da vida dos outros.

    Já viu como geralmente sabemos TUDO da vida dos outros? Menina se brincar sabemos mais dos outros do que eles mesmo kkkk, como é gostoso cuidar da vida dos outros, dar palpite na vida alheia, sabe qual o problema disso? Paramos de olhar para o que realmente interessa... a nossa vida. E pior, esquecemos que os outros também gostam de cuidar da vida alheia e dessa vez eles podem estar cuidando da nossa vida... ou seja, se eu não cuido da minha vida pra cuidar da dos outros e outros não cuidam da vida deles pra cuidar da minha.... vixi!

    Faça as pazes consigo mesma, com suas origens, suas raízes, com Deus. Não deixe que o mundo, as modinhas ou que os outros ditem as regras da sua vida e a da sua família. Seja quem você é e peça a Deus discernimento para entender qual a vontade Dele na sua vida e aproveite tudo aquilo que Ele preparou para você e seja MUITO feliz!  

    Então... topa o desafio? em 2015, bóra ser feliz consigo mesma?